O projecto O homem que queria ser água promove uma consciencialização artística em torno da ontologia da água. 

 

 

 

 

A ontologia da água tem a ver com a evolução temporal, a contaminação, a mistura, a fusão de materiais e a recodificação permanente de memórias. A água é transformação, metamorfose, regeneração formal, articulação da vida e da morte.